INCA tem 30 dias para apresentar resultado de investigação contra empresas denunciadas pelo Fantástico

O INCA, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO) e o Instituto Nacional de Cardiologia (INC) tem três dias para instaurar processo administrativo visando a apurar a ocorrência de irregularidades nos contratos administrativos vigentes mantidos com as empresas Bella Vista Refeições Industriais, Locanty Soluções e Qualidade, Rufolo Serviços Técnicos e Construções, e Toesa Service.
A determinação foi publicada nesta terça-feira, 20, no Diário Oficial da União, pela Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, depois de pareceres da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus).

Tais empresas também foram alvo de matéria do programa Fantástico, da Rede Globo, que denunciou um esquema de corrupção em processos licitatórios.

O INCA, o INTO e o INC têm 30 dias para a conclusão do processo administrativo e anúncio das medidas adotadas. Servidores públicos com indícios de envolvimento no esquema também serão investigados.

Veja a publicação