Ministro diz que recurso para Ciência e Tecnologia não é despesa, mas sim investimento

AFINCA • 28 de maio de 2019

Marcos Pontes considera que a ciência e a tecnologia podem mudar uma nação e, por isso, o Brasil deve se dedicar mais à área

Em audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado no final de abril, o ministro Marcus Pontes (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC) definiu como vital para o Brasil sair da crise o investimento em Ciência e Tecnologia (C&T).
“Recursos aplicados em ciência e tecnologia não são gastos: são investimentos de alto e rápido retorno”, afirmou o ministro, lembrando que países em crise sempre investem mais em Ciência e Tecnologia, devido à sua capacidade de oferecer soluções em praticamente todas as áreas e mudar uma nação. Marcus Pontes ressaltou que todas as atividades do futuro estão baseadas em conhecimento e tecnologia; por isso, o Brasil deve se dedicar mais à área.
Segundo o ministro, uma de suas primeiras diretrizes ao assumir a pasta foi a apresentação de resultados práticos, especialmente no que se refere à aproximação da C&T ao dia a dia das pessoas. Ele apontou, no entanto, que o MCTIC ainda enfrenta problemas como orçamento incoerente e perda de recursos humanos e não reposição de pesquisadores.
“Precisamos trabalhar com propósito, alinhando os esforços das pessoas em todas as organizações; aperfeiçoar a coordenação com outras instituições, melhorar as condições de trabalho para manter o nível da pesquisa no Brasil e atrair pesquisadores para os nossos projetos”, disse Marcus Pontes.

Ampliação do quadro

Para atingir esses objetivos, Marcos Pontes apontou estratégias como a ampliação e a readequação do quadro de pessoal e a adaptação do ministério para que ele funcione como centro de um sistema capaz de produzir conhecimento, produtos e serviços que gerem riquezas e qualidade de vida para os brasileiros.
O ministro disse que tem buscado parcerias com outros órgãos e ministérios, como o da Economia, e também pediu apoio dos parlamentares para o sucesso da pasta. “Essa área é extremamente estratégica para o desenvolvimento do país. É o investimento mais eficiente que a gente deve ter, e o Congresso tem uma função essencial nesse caminho”, lembrou ele.
Outras prioridades apontadas por Marcos Pontes são a reorganização da estrutura e das atividades integradas do sistema de ciência, tecnologia e inovação no Brasil; a atualização da regulamentação do setor; a melhoria da telefonia móvel e a universalização do acesso à banda larga, além da contribuição para a melhoria do ambiente de negócios e o estabelecimento de cooperações para projetar positivamente a imagem do Brasil no exterior.

(Com Agência Senado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *